Porto Seco Centro Oeste
Postado em: Clipping
2016-05-19 11:13:00 -0300

Ajuste fiscal e a nova equipe econômica do governo
O primeiro quadrimestre de 2016 trouxe quase as mesmas más notícias do final de 2015, ou seja, estagnação econômica com recessão e mais desemprego.


 

Com os problemas econômico-financeiros, tivemos uma piora no ambiente político, que acabou com o afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) e a posse de Michel Temer (PMDB) como presidente interino.

A queda do Produto Interno Bruto (PIB) e o desemprego assombram o Brasil. Há quem se desespere, principalmente as milhões de pessoas que perderam um posto de trabalho formal nos últimos 12 meses.

Por isso, há quem vaticine que o País está no caminho de se tornar uma nova Grécia. Exagero, eis que temos, há anos, cerca de US$ 360 bilhões em reservas, e esse colchão de dólares nos garante enfrentar as dificuldades e honrar os compromissos externos. Uma retomada da economia brasileira é possível.

Agora, com o nome do experiente economista Ilan Goldfajn indicado para ser o novo presidente do Banco Central, acredita-se que uma equipe muito experiente poderá mesmo destravar a nossa economia, abrindo as portas para investimentos, ativando os setores primário, industrial, comercial e de serviços, gerando empregos.

Porém, especialistas em finanças alertam que, se o ajuste fiscal e as reformas não forem drásticas, o Brasil pode, sim, continuar patinando. O primeiro passo é a revisão da meta fiscal, o que deve ser votado já na próxima semana pelo Congresso Nacional. Depois, com dados realistas, será possível vislumbrar um equilíbrio das contas públicas já no próximo ano.

Agora, o trabalho do presidente interino e dos novos ministros é diminuir os índices inflacionários e trazê-los para o centro da meta conforme prevê o Banco Central, de 4,5%, com variação de 2 pontos percentuais para mais ou menos. Também, depois de reduzir o aumento do desemprego, tratar de gerar novos postos de trabalho, com a roda da economia girando. É algo difícil de implementar já nesse ano, mas não impossível.

Está certo que as atuais dificuldades não são exclusividade do Brasil. Países emergentes como a grande China estão sofrendo, e o governo comunista de Pequim deu uma guinada pró mais consumo, deixando de lado o crescimento baseado apenas no investimento, como até hoje. Esse modelo foi implantado aqui, porém esgotou-se, não dá mais resultado, não no curto prazo.

O importante no Brasil atual, da instabilidade e da sucessão de más notícias econômico-financeiras, é não perder o rumo. Muita gestão, parcimônia nos gastos de custeio, enxugamento da máquina pública no que for dispensável e buscar investimentos com planejamento. Não podemos ficar feito uma nau de insensatos.

Austeridade e focar a industrialização é fundamental para que a economia volte a crescer. Não podemos continuar atrelados apenas à produção primária, por mais importante e como tem sido! que ela seja para o País. É o único setor da economia, aliás, que tem superado as dificuldades e conseguido amealhar rendimentos.

E a iniciativa privada também deve fazer a sua parte, ajudando, com sinais claros, de que a confiança está sendo retomada, através da concretização de investimentos que foram postergados e que, agora, com uma nova perspectiva para o País, poderão sair do papel.

Fonte: Jornal do Comércio - RS

Tempo no Porto

25º C
Temperatura 172f3aa66012f344cd044c2fd8e6275b982232e35d680e85ec19ea90c8175c32
Umidade do Ar: 60%
Sensação Térmica: 21º C
Velocidade do Vento: 11 Km/h
Máx Rajada de Vento: 17 Km/h
Fonte: Estação Meteorológica localizada no Porto Seco Centro Oeste.
Tempo no Porto
Temperatura 172f3aa66012f344cd044c2fd8e6275b982232e35d680e85ec19ea90c8175c32
Confira as Máximas e Mínimas de hoje
  Mínima Média Máxima
Temperatura:
25º C 26º C 26º C
Umidade do Ar:
25% 58% 60%
Sensação Térmica
21º C 22º C 22º C
Velocidade do Vento:
11 Km/h 15 Km/h 18 Km/h
Fonte: Estação Meteorológica localizada no Porto Seco Centro Oeste.